quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

DA MINHA JANELA


EVOLUIR agradece este texto para publicação


Maria Sílvia Paradela





Abrindo a janela de par em par

Contemplo o Mundo, qual fascinação!
A voz dos rouxinóis a redobrar
Na resplandecência do azul do Céu!
Do pastor a flauta ouço tocar
Guiando o rebanho com devoção,
Como o Sacerdote a evangelizar
Convidando os fiéis à oração!
O Mundo! Como é belo o Mundo, oh Deus!
Por que não o salvas dos fariseus
Se mágoas cruéis já a Cristo criaram?
Salva-o, salva, salva, Senhor, salva!
Da minha janela Te oro com alma
– Eles já Teu Filho crucificaram!





10 comentários:

  1. Obrigado Silvia pela sua participação. Muito bonito este soneto. Ficamos à espera de novas publicações suas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço sensibilizada, o acolhimento que me foi prestado neste lindo e interessante blog! Abraço.

      Eliminar
  2. Seja benvinda, Silvia! Ainda bem que se juntou a nós. Juntos vamos partilhar um caminho que desejo longo e muito participativo.O brigado pela sua colaboração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faço muito gosto em participar, e eu é que acradeço a Albertina Vaz a amabilidade de sua mensagem!

      Eliminar
  3. Os fariseus atacam o Homem que tem de salvar o Mundo!
    O homem, acossado, vê-se perdido.
    O Homem e o Mundo estão em perigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei! Obrigada pela disponibilidade e simpatia!

      Eliminar
  4. "Perdoai-lhes Senhor
    Porque eles sabem o que fazem"

    ResponderEliminar
  5. Lindo soneto. Obrigada pela participação. Como diz a Fernanda e com muita razão: o Homem e o Mundo estão em perigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito gratificante para mim, a avaliação de meus versinhos por pessoas com grande dose de sensibilidade, capacidade de entender o outro!
      Obrigada!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...